A vida de luxo dos banqueiros intocáveis é surreal.

Continuam a viver em mansões, comem nos melhores restaurantes, têm motorista à porta e fazem férias no estrangeiro, mesmo depois de levarw à falência bancos e fazerem negócios milionários duvidosos.

Duas moradias em Tróia, uma casa em Lisboa, um salário de €31 mil, dois carros de luxo, um cão chamado Tobias, uma grande paixão pelo fado e a mulher que até se chama Amália. Uma pensão vitalícia que já vai nos €35 milhões de euros, uma moradia de €5 milhões de euros, um Jaguar e vários Mercedes. Quintas, restaurantes e viagens.

No minimo 21 processos nos tribunais, apenas quatro condenações: duas em recurso e duas suspensas.

Prisão para algum nem vê-la. €12 mil milhões de euros emprestados, perdidos ou injectados pelo Estado. Estamos perante uma banca privada totalmente arruinada e em poucos anos deixou de ser portuguesa e passou para mãos chinesas, angolanas, espanholas e americanas.

Até ao momento tudo isso é o que acontece a cinco banqueiros, são eles: Jardim Gonçalves (BCP), João Rendeiro (BPP), Tomás Correia (Montepio), Oliveira Costa (BPN) e Ricardo Salgado (BES).

FONTESabado

Partilha