Uma terapia genética inovadora eliminou células cancerígenas a homem com carcinoma. Vamberto Castro, de 62 anos, sofria de um Linfoma Não Hodkins, em estado terminal, quando foi submetido a um tratamento inovador conhecido como CART-Cell, baseado numa técnica de terapia genética, realizada no Brasil.

O cancro já estava metastizado nos ossos e haviam poucas chances de sobreviver à doença. Ele realizou ciclos de quimioterapia e radioterapia, mas sem sucesso.

Foi quando se submeteu a um tratamento inovador, apenas autorizado nos EUA que antigo mineiro viu os exames comprovaram que algumas células cancerígenas tinham desaparecido.

Os médicos do Centro de Terapia Celular do Hermocentro, afirmam que Vamberto não totalmente curado, uma vez que o diagnóstico final só poderá ser dado ao fim de cinco anos, no entanto, o prognóstico é muito positivo e o tratamento será aplicado a mais dois pacientes em breve.

Esta técnica faz uso do nosso sistema imunitário de atacar as células cancerosas estimulando-o e bloqueando os “travões” das células do sistema imunitário. Os resultados foram tão positivos que seus investigadore, James P. Allison e Tasuku Honjo, receberam o Prémio Nobel da Medicina de 2018.