Quem não suporta mais sofrer com rinite vai comemorar a vacina contra o problema. Nariz entupido, séries intermináveis de espirros e comichão são desconfortos dos mais comuns enfrentados por quem sofre de rinite, uma inflamação que ocorre na mucosa nasal em resposta a algum estímulo entendido como ameaça pelo sistema imunológico.

Quem sofre de rinite alérgica, ou seja, causada por alérgenos como poeira, ácaros, plantas, perfumes, entre outros, vai comemorar a vacina que combate o problema e permite o fim do uso de remédios anti-alérgicos que causam sonolência e nem sempre surtem grandes efeitos.

Como funciona a “vacina contra rinite”
A imunoterapia contra rinite é feita a partir do agente causador da alergia (antígeno) e tem fórmula e aplicação inteiramente personalizadas. De acordo com o alergologista Marcelo Vívolo Aun, do Hospital Oswaldo Cruz (SP), o método procura modificar aos poucos o sistema imunológico do paciente para que ele se torne mais resistente aos agentes que lhe causam alergia.

Os tratamentos podem durar de 1 a 5 anos e não curam a rinite, mas sim atenuam a sensibilidade do paciente ao agente causador da alergia, detectado por um exame prévio, fazendo com que a condição se torne completamente imperceptível com o tempo.

A “vacina contra rinite” é indicada para pacientes com sintomas persistentes e com mais de uma doença alérgica ao mesmo tempo (por exemplo: rinite e asma).