Sara Barros Leitão confirma o assédio sexual que Sofia Arruda sofreu: “O que a Sofia disse na entrevista é de uma coragem impossível de caracterizar. A Sofia começou a trabalhar com 11 anos na indústria televisiva, eu comecei aos 16. Encontrámo-nos no fim das nossas adolescências e foi uma amizade como um íman. Também eu cresci a ver a Sofia na televisão, e quando a conheci, foi impactante para mim”, disse a actriz no Instagram.

Sara elogia ainda a colega de trabalho e amiga: “Quando uma mulher conta uma experiência como esta, a primeira coisa que devemos fazer é não duvidar dela […] O assédio é uma coisa que acontece às mulheres diariamente. No contexto de televisão, vem acompanhado de outras camadas que tornam a questão interseccional e muito complexa”, disse.

“É possível que a entrevista da Sofia ainda não seja o gatilho que vá despoletar o movimento ‘#metoo’ em Portugal. Mas teremos de chegar lá um dia. A história da Sofia é real, sou dela testemunha. Conheço outras. Conheço muitas. Não desanimemos se ainda não for desta. Acima de tudo, peço-vos para não descredibilizarem qualquer relato que entretanto surja”, confessou.

e continuou: “Mais tarde, durante as gravações, estava na cadeira de maquilhagem, a pessoa chegou e disse-me ao ouvido: ‘Essa é a tua última decisão?’. Eu disse que sim e ele respondeu-me: ‘Então nunca mais vais trabalhar aqui.’ Não sei quanto tempo fiquei na cadeira da maquilhagem. Sei que a maquilhadora teve que me maquilhar o braço porque estava marcada”, contou.