A pediatra não detectou ruptura do baço em Leonor e esta morreu. Essa ruptura só foi detectada mais tarde no Hospital Garcia de Orta.

Quando os médicos da unidade de saúde pública descobriram o problema, a situação já era muito grave e irreversível para a criança, que durante vários dias se queixou de inúmeras dores mas que a médica que primeiramente a atendeu chegou a alegar que “era para chamar a atenção” o choro e as queixas insistentes de Leonor.

De acordo com o Correio da Manhã, os médicos descobriram a ruptura do baço após terem feito uma TAC ao tórax que revelou líquido nas membranas dos pulmões.

A mãe da criança aguarda o resultado da autópsia para decidir o que vai fazer. A médica da CUF foi suspensa de funções e o Ministério Público já abriu um processo.

“Era uma menina bondosa e inteligente”, diz a mãe inconsolável com a morte da filha.