Uma pessoa mostra quem é de verdade quando é contrariada. Ao ser contrariada, uma pessoa se revolta, hostiliza, ironiza e até tenta diminuir a outra.

Conheces alguém assim?

Quando contrariada, uma pessoa pode revelar os seus maiores segredos, já que a sua ira desconstrói a máscara que ela vestia e desorganiza a sua razão.

Humildade intelectual
Algumas pessoas têm grande dificuldade de aceitar opiniões diferentes e se ofendem quando as suas ideias não são aceites. A essas pessoas, falta humildade intelectual. Humildade intelectual está relacionada ao facto de saber ouvir “não”, uma palavra negativa que é a chave para um conhecimento que trará coisas positivas. Para aprender a ouvir uma negativa ou uma contraposta à ideia que, a princípio, achávamos genial, devemos nos manter abertos e ter humildade para receber novos conhecimentos.

Quando nos permitimos ouvir as opiniões contrárias, sem nos ofender com o que nos foi dito, angariamos benefícios muito maiores, e nos munimos de informações preciosas para que possamos melhorar o que, para nós, já era bom, e crescer emocionalmente.

O não pode nos chatear, mas é necessário para que possamos avaliar as nossas ideias e objetivos.

Alguns adultos reagem feito crianças mimadas diante de uma contrariedade. O adulto é uma criança que cresceu, mas em alguns, a criança ainda habita, e aparece em algumas reações espontâneas. Esse sentimento se deve a um excesso de preocupação dos pais em impedir que essa criança passasse por frustrações durante a infância. E quando uma criança não se frustra, ela inevitavelmente se torna um adulto intransigente.

Contrariar os impulsos e imposições de uma criança ajuda a prepará-la para o futuro, auxiliando-a a definir prioridades e a criar novas fórmulas de alcançar objetivos. Sem aprender a se frustrar, essa criança se transformará num adulto que não fará concessões. Totalmente inflexível, intolerante, será conhecida pela sua austeridade e rigidez ao fazer valerem os seus princípios.

A pessoa que não aceita opiniões contrárias causa aversão num ambiente de trabalho e dificilmente consegue manter relacionamentos afetivos construtivos. O lema da sua vida é: manda quem pode; obedece quem tem juízo!

Mas a vida não é tão simples assim, não é mesmo?
Não saber ser contrariado afecta problematicamente pontos cruciais da nossa vida. No ambiente de trabalho, se a pessoa é uma mera funcionária, com certeza, passa a ser mal vista pelos colegas, que também, com toda certeza, não a suportam. Além disso, ela perde muitas oportunidades de aprender com os colegas e até com os seus superiores por acreditar que as suas ideias sempre são melhores do que as das outras pessoas.

E mesmo quando precisa ceder, por uma força maior, porque o chefe mandou, ela fica revoltada e “meio que” torce o nariz para a ideia aprovada, como se torcesse para dar errado, só para depois poder dizer: “Eu avisei.”

Se o intransigente for o chefe, o dono, o empreendedor, os seus funcionários simplesmente não possuem voz, eles estão ali, mas seria melhor se fossem robots, que entram quietos, fazem o que lhes foi determinado e depois vão embora.

O problema maior em uma pessoa que não aceita ser contrariada assumir um posto de respeito e poder é que ela constantemente comete erros, por ignorância ou por excesso de confiança, mas coloca a culpa nos outros justamente porque não admite falhas e não escuta ninguém.

Sabemos que devemos aprender com as falhas para crescer, que não há vitória sem derrota e que é com a experiência que alcançamos o sucesso, mas a pessoa que não admite ser contrariada finge não saber disso. E a rotina dentro do ambiente de trabalho se torna insustentável.

Já dentro de um relacionamento afetivo e/ou amoroso, seja num casamento, namoro ou amizade, a pessoa que não aceita ser contrariada vive impondo as suas vontades, e geralmente escolhe parceiros inibidos, fracos e submissos, até para não terem que bater de frente e em dado momento precisar ceder.

No relacionamento, o que ela mais gosta de ouvir é: “decide tu, meu amor”, ou “faz o que achares melhor”, ou ainda “como quiseres”. Quando amam, amam porque são constantemente elogiados, mas se afastam logo que sentem que as suas fragilidades e defeitos foram descobertos.

Na verdade, essas pessoas que, quando contrariadas, se revoltam e esperneiam, não passam de pessoas inseguras e presunçosas, que acreditam que o mundo gira em torno dos seus umbigos.

Não consegue saceitar opiniões contrárias? Quando contrariado, sentes-te humilhado e rejeitado? Pára e pensa: se te estão contrariando, algum motivo existe. Ou estás errado e deves parar e analisar as tuas atitudes ou o outro está errado. Mas só saberás isso se te abrires e escutares. Parar e refletir sobre tudo que foi dito, sem te ofenderes.

De qualquer forma, na vida tudo é aprendizagem. Permite-te discutir e expor os teus pontos de vista, mas respeita também os pontos de vista dos outros de forma lógica, racional e paciente. Portanto:
– Cresce e amadurece! Não é fácil crescer, mas é necessário. A tua atitude imatura e intransigente já deve ter causado muitos danos em seus relacionamentos. Aceita que está na hora de ser mais maleável.

– Pára de impor as tuas ideias, isso é extremamente chato e repugnante. Aprende a ter humildade intelectual.

– Permitires-te se frustrar é fundamental para o desenvolvimento da inteligência emocional. A frustração é importante para que nos identifiquemos como seres humanos iguais aos outros e  para que desenvolvamos empatia e compaixão.

– Esse teu orgulho não o levará – nem nunca levou – a nada. Tem humildade e aprende a escutar. Une isso à boa vontade, e verás que os demais sentirão a tua mudança, perceberão que estarás mais agradável a convivência contigo.

A pessoa que não gosta de ser contrariada pode ser uma pessoa insegura, egocêntrica, que precisa se autoafirmar e que se limita a um mundo criado por ela mesma, que se coloca num pedestal, e por conta disso, afasta as pessoas que sempre são niveladas por baixo, já que, no alto do pódio, só cabe um.

Essas pessoas, geralmente, se fazem de vítimas, essa é a maneira que encontram para poder escapar de uma condenação quando perdem a razão frente a uma contrariedade. O vitimismo é também uma válvula de escape por não querer ou não gostar de ter sido contrariada.

Nunca te esqueças…
Quando emitirem uma opinião contrária à tua, exercita a paciência, respira, conta até 10, diz que precisas sair por um instante, arruma um tempo para pensar até conseguires processar melhor as informações e as críticas que recebeste, depois volta mais calmo, ponderando os prós e os contras. Não saias por aí esbravejando, batendo o pé, fazendo birra igual a uma criança, para tentar fazer valer a tua opinião. É feio e ninguém mais aguenta.