Um pedófilo que ficou em liberdade não perdeu tempo e voltou a atacar crianças.

O homem criava e usava perfis falsos nas redes sociais, onde fingia ser um jovem adolescente para convencer as suas vítimas a enviar fotos comprometedoras para depois as chantagear.

Depois de enganar as vítimas ao ponto de ter em sua posse imagens constrangedoras e comprometedoras, este predador chantageava as crianças, ordenando que as mesmas se encontrassem com ele ou publicaria as imagens que tinha na sua posse nas redes sociais, tornando-as públicas.

Este homem foi condenado a 10 anos de prisão por abusar de uma menina com 10 anos, mas ficou em liberdade desde que foi detido para ser interrogado por um juiz de instrução criminal em 2014.

Acabou por ser proibido de contactar com crianças e de se aproximar delas, mas, em liberdade, não cumpriu de todo a medida de coação imposta pelo juiz.

Deste modo, a justiça acabou por permitir que ele ficasse em liberdade e à solta para voltar a atacar. Usando o mesmo método, o Facebook, este predador voltou a atacar crianças.

Após ter feito mais vítimas, este homem foi novamente detido e encontra-se em prisão preventiva.

Os factos criminosos ocorriam a partir dos domicílios do suspeito, em Matosinhos e Rio Tinto, onde numa fase inicial usava a Internet e as redes sociais para “caçar” as suas vítimas, ocultando a sua verdadeira identidade, e procedendo posteriormente a contactos pessoais com as vítimas.

Segundo uma fonte da Diretoria do Norte da Polícia Judiciária, o suspeito detido era angariador de clientes para operadoras de telecomunicações,

Assim, este predador usava os seus contactos e largos conhecimentos para chantagear crianças indefesas.

Espera-se agora que a justiça seja feita e este pedófilo pague devidamente pelos crimes que cometeu.

Partilha