O partido de André Ventura “quer liderar o Estado em Portugal”. O candidato à Presidência diz que é a mudança que os portugueses precisam.

O presidente do Chega declarou na semana passada que o seu partido vai abdicar da redução do número de deputados no Parlamento na sua proposta de revisão constitucional, por exemplo, para acompanhar o PSD.

Segundo o deputado único do partido da extrema-direita parlamentar, “também algumas questões relacionadas com a Justiça e com a reforma do sistema fiscal” vão ser retiradas “para acompanhar a proposta do PSD, com eventuais alterações”.

O Chega defendia a diminuição do número de deputados na Assembleia da República dos atuais 230 para 100, enquanto, o PSD preconiza um número “180 e 200”, revelou o também anunciado candidato presidencial do Chega.

Em entrevista à agência Lusa, Ventura defende que “o que ficará do legado de Marcelo Rebelo de Sousa é ter sido provavelmente o Presidente mais cúmplice da história da terceira República”.