Os pais amarram um filho com uma coleira e deixaram-no a morrer à fome, isso depois da criança ter sido vítima de prolongadas agressões do pai e madrasta.

Luis Posso e a madrasta, Dayana Medina-Flores foram detidos, por homicídio, negligência, isolamento e agressões ao menor.

A criança foi vítima de uma morte lenta, provocada pelo casal, num hotel em Bloomington, Indiana, indica o relatório judicial.

Pais amarram filho com coleira

O menino apresentava hematomas, lacerações e úlceras em todo o corpo e terá sido trancado na casa de banho do quarto e acorrentado a uma barra de pendurar toalhas, com uma coleira de choques à volta do pescoço.

A madrasta referiu que a criança tinha adoecido e estava demasiado fraca para se alimentar. Ao ser levado para o hospital, a criança estava inconsciente e foi declarada morta pouco depois.

As autoridades encontraram um vídeo no telemóvel da madrasta, que mostra Eduardo imobilizado na banheira.

Também no telemóvel do pai, encontraram uma mensagem a dizer que a criança quase tinha escapado das correntes e uma selfie de Luis com o filho dentro da banheira.

No quarto de hotel foram encontradas correntes, cordas, algemas, cadeados e uma coleira de choques elétricos para cães.

Ambos acabaram por confessar o crime. Esperemos que seja punidos severamente.