O novo treinador do Sporting Sinisa Mihajlovic tem 49 anos, é um ultra-nacionalista sérvio, apoiante de Tito e Miloševic.

Com um temperamento impulsivo e episódios passados que deixam antever uma personagem violenta e racista, os próximos meses em Alvalade com Bruno de Carvalho prometem.

Em entrevistas ainda quando era jogador, Siniša Mihajlovic demonstrou o seu fascínio pelo regime do marechal Tito, que liderou a Jugoslávia entre 1945 e 1963. “Com Tito havia valores, família, uma ideia de país e povo. Com ele, a Jugoslávia era o país mais bonito do mundo”, acrescentou.

Já quando era apontado de ter valores próximos da extrema-direita argumentava: “Se nacionalista significa patriota, se isso significa amar a minha terra e a minha nação, sim, eu sou.” Apesar de se assumir nacionalista e de na Lazio, ter sido acarinhado como neo-fascista, segundo o jornal The Guardian, Mihajlovic também se definiu como “mais comunista que muitos”, por ter vivido com Tito.

Também nessa altura surgiram escândalos de racismo envolvendo Mihajlovic. Numa partida contra o Arsenal, a contar para a Liga dos Campeões, o sérvio terá insultado Patrick Vieira e este não gostou . Uma investigação depois do jogo concluiu que este terá chamado ao francês “fucking black monkey” – “macaco preto de m….” em português.

O treinador envolveu-se numa polémica com Melissa Satta, a namorada de Kevin Prince Boateng, depois de esta dizer em entrevista à Gazzetta dello Sport, que com a saída do sérvio a atmosfera no balneário da equipa ia ficar mais calma e tranquila. Mihajlovic não gostou do que leu e respondeu que “as mulheres não deviam falar sobre futebol”, pois não estariam “preparadas para falar sobre isso”.

Conhecido como um ultra-nacionalista sérvio, um jogador de futebol violento e uma personagem controversa, Mihajlovic tem ainda que comprovar a sua qualidade como técnico.

FONTESabado
Partilha