As motas não podem furar filas de trânsito e quem as conduz acredita que tem a liberdade de usufruir de um tipo de manobras mais práticas.

Diariamente, enquanto conduzimos, assistimos a motas a furar filas de trânsito.
No entanto, a lei é clara: as motas não podem mesmo, qualquer que seja a circunstância, furar as filas de trânsito.

É uma manobra relativamente comum que pode custar uma coima aos motociclistas que consciente ou inconscientemente a pratiquem.

De acordo com a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, os motociclistas que com as suas motas furem as filas de trânsito estão a infrigir o artigo 15º do Código da Estrada, o que pode corresponder a uma multa entre os 120 e os 600 euros.

Se a circulação for feita por vias paralelas e o trânsito não estiver condicionado, só é possível ultrapassar o veículo da frente se a manobra for efetuada pela esquerda e se o condutor efetuar a manobra sem perigo de colisão com o veículo que transite no mesmo sentido ou em sentido contrário.

Caso a manobra não seja efetuada cumprindo os dois fatores anteriores, ou seja, em caso de infração a coima aplicável varia entre os 250 e os 1250 euros.
Sempre que o condutor considerar que deve ultrapassar, este deve certificar-se que:

– nenhum condutor que siga na mesma via na que se situa imediatamente à esquerda inicie anteriormente a manobra de ultrapassagem:- a faixa de rodagem esteja livre em largura e extensão para a realização da manobra com as condições de segurança;

– pode retomar à sua direita sem perigo para si e essencialmente para os outros condutores;

– quando a ultrapassagem acontece com velocípedes ou na passagem de peões que circulem ou se encontrem na berma da estrada, o motociclista deve guardar uma distância lateral mínima de 1,5 metros e abrandar a velocidade.
Estas regras são válidas para todos os veículos sem exceção. 

Os motociclistas não podem furar filas em nenhuma circunstância e os condutores de automóveis que se apercebam que uma situação destas acontece deve desviar-se o mais possível para a direita da sua faixa de rodagem e deve abrandar sempre que seja ultrapassado por uma mota.

Dicas cívicas, que apesar de simples, fazem toda a diferença, contribuindo para uma ótima “saúde” da segurança rodoviária.

Partilha