Judite Sousa saiu em defesa de Cristiano Ronaldo: “Merece o nosso respeito…”, disse após o jogador e Georgina perderem o menino gémeo, no passado dia 18 de abril.

A jornalista começou por dizer no seu Instagram: “A uma certa distância de Portugal soube da maledicência de que foi alvo o Cristiano Ronaldo e a sua mulher Georgina. Ronaldo merece o respeito dos portugueses. Pelo seu talento, pelas suas conquistas, pelas alegrias que tem dado. Alguns, porém, não o honraram num dos momentos porventura mais difíceis da sua existência”.

“Deixo-lhe as mesmas palavras de conforto que recebi dele quando me abriu as portas da sua casa e a toda a equipa da TVI, em Madrid. Não precisava de o ter feito. Podia ter dado a entrevista num hotel. Não foi o caso. Esta fotografia tem sete anos. Muito provavelmente este momento não irá repetir-se. A renovação de oportunidades impõe-se. Assim o entendo”, continuou Judite Sousa.

“No entanto, a questão das figuras públicas vs. redes sociais convoca-me a deixar o meu pensamento. O escritor Italiano Umberto Eco escreveu que as redes sociais são estradas da morte. É uma metáfora, mas suscita uma análise ponderada. De facto, as redes sociais tornaram-se corredores de maldade, intriga, voyeurismo mediático e inveja. Inveja é precisamente a última palavra de Camões nos Lusíadas”, avançou ainda.

“Para infelicidade de nós, enquanto povo e nação. Em alguns casos, não em todos… as figuras públicas que têm uma dimensão flat, o que significa plana, circulam nas redes de uma forma normal. Nem tão pouco despertam a atenção dos onlines. Nem dos comediantes. Pela minha parte, gosto de partilhar as minhas vivências pessoais (em certos limites) e as experiências profissionais que me têm sido proporcionadas. Há riscos? Claro que sim, mas há fases da vida que nos permitimos fazer o que entendemos, o que nos apetece, em circunstâncias de total liberdade a vários níveis. É a vida tal como ela é”, concluiu a jornalista da CNN.