Uma jovem teve um AVC depois de estalar pescoço sozinha. Há certas circunstâncias em que o AVC e enfarte podem acontecer em pessoas mais jovens.

É o caso de Natalie Kunicki, que aos 23 anos, sofreu um acidente vascular cerebral ocasionado por um factor bem peculiar.

Segundo o site britânico “Daily Mail”, tudo começou quando Natalie voltou de uma festa com um amigo e deitou-se na cama para assistir a um filme. Ao mover-se, porém, ela estalou o pescoço por acidente e logo em seguida notou que havia perdido os movimentos da perna esquerda.

Jovem tem AVC depois de estalar pescoço

“Eu tentei andar até à casa de banho e estava a balançar toda. Olhei para baixo e percebi que não mexia a minha perna esquerda, aí caí no chão”, disse ela, explicando que em momento algum cogitou estar a passar por um AVC. “[O meu amigo] pensou que eu estava bêbada, mas eu sabia que algo estava diferente. Pensei que tivesse sido drogada”, relembra.

Por trabalhar para o serviço de ambulâncias de Londres (Inglaterra) e pensar que estava apenas alcoolizada, Natalie teve vergonha de chamar a emergência, mas, após ser atendida, teve certeza de que fez a coisa certa ao ligar.

No hospital, ela foi informada de que havia rompido a artéria vertebral (provavelmente ao estalar o pescoço), fazendo com que um coágulo se formasse no seu cérebro e ocasionasse um derrame.

Após uma cirurgia, os médicos conseguiram reparar a artéria entupida usando um stent e acreditam que o coágulo no seu cérebro se dissolverá sozinho, mas, ainda assim, Natalie enfrenta as consequências do AVC.

Jovem tem AVC depois de estalar pescoço

Apesar de ter visto progresso na retomada de alguns movimentos, ela segue com o lado esquerdo do corpo quase completamente paralisado e sem previsão de melhora total.

Manipular o pescoço pode causar AVC?
Normalmente, um acidente vascular tem como gatilho condições de saúde como hipertensão, diabetes, colesterol alto, arritmia cardíaca ou o hábito de fumar e ele acontece quando as artérias responsáveis por irrigar o cérebro são obstruídas. Há indícios, porém, que determinadas formas de mover o pescoço podem ser responsáveis por ocasionar um derrame.

“A dissecção arterial pode causar AVC isquêmico [o que ‘entope’ o vaso] caso se formem coágulos na região depois de um trauma no pescoço e eles causem, posteriormente, bloqueio dos vasos sanguíneos no cérebro”, afirma a associação, e o neurologista José Biller, principal autor da declaração, detalha as possíveis causas. “Movimentos súbitos de hiperextensão e rotação do pescoço podem resultar em disseção das artérias cervicais”, afirma a American Heart Association (AHA)

FONTEVix

Partilha