Um Italiano deixou uma mensagem ao mundo: “Não fazem ideia do que aí vem…”. “Para o resto do mundo, que não tem ideia do que está para vir.

Como acho que todo mundo sabe, a Itália está em quarentena por causa do surto de coronavírus. A situação é má, mas o pior é ver o resto do mundo a comportar-se como se isto não o estivesse a afetar.

Sabemos o que estás a pensar, porque também já estivemos nesse lugar.

Vamos ver como as coisas se desenvolveram na Itália:ESTÁGIO 1: Sabes que o coronavírus existem e os primeiros casos começam a surgir no teu país.
Bem, não há nada para nos preocuparmos, pois é “apenas uma gripe má”! Eu não tenho mais de 75 anos, então o que é que pode acontecer comigo?
Estou seguro, acho que o mundo está a exagerar, afinal qual é a necessidade de sair com máscaras de papel higiénico? Vou viver minha vida como sempre, não há necessidade de entrar em pânico.
ESTÁGIO 2: O número de pessoas infetados começa a ser significativo.

o Governo declarou “zona vermelha” e colocou em quarentena uma ou duas pequenas cidades onde encontraram os primeiros casos, mas algumas pessoas acabaram por ser infetadas (22 de fevereiro).

Bem, isso é triste e um pouco preocupante, mas as autoridades de saúde e o governo já está a tratar disso, então não há motivo para entrar em pânico.

Existem algumas mortes, mas tratam-se de pessoas idosas, então os media estão apenas a criar pânico por visualizações, que vergonha.

As pessoas levam a mesma vida de sempre. Não vou parar de sair e encontrar-me com os amigos. Esta “gripe” não vai pegar, toda a gente está bem por aqui.

ESTÁGIO 3: O número de casos começa a subir rapidamente.

O número de infetados quase duplicou em apenas um dia. Há mais mortes. O governo declarou “zona vermelha” e colocou em quarentena as quatro regiões onde a maioria dos casos foi registada (7 de março).

Na Itália, 25% do país encontra-se em quarentena. Escolas e universidades foram fechadas nessas áreas, mas bares, locais de trabalho, restaurantes e outros estabelecimentos ainda estão abertos.

A maioria da população da Itália, dos cerca de 75% restantes, continua a fazer o que sempre faz e não param a sua vida. Eles ainda não perceberam a seriedade da situação. Em todos os lugares em que as pessoas aconselham a lavar as mãos e a limitar saídas, vários grupos de pessoas são detidas; a cada 5 minutos na televisão, são relembradas as regras de segurança.

No entanto, parece não ser suficiente e ainda há muitas pessoas que não estão conscientes da situação.

ESTÁGIO 4: O número de casos não para de aumentar!

Escolas e universidades foram todas fechadas durante, pelo menos, um mês. Trata-se de uma emergência nacional de saúde.

Os hospitais estão sem capacidade. Há unidades inteiras a ser disponibilizadas para dar lugar a doentes infetados com coronavírus. Não há medicos e enfermeiros suficientes.

O governo começa a chamar os profissionais de saúde reformados e os que estão nos seus dois últimos anos de universidade. Os turnos deixaram de existir – apenas trabalhe o máximo que puder.

Como é lógico, os médicos e enfermeiros estão a ser infetados, espalhando o vírus para as suas famílias. Existem muitos casos de pneumonia, muitas pessoas que precisam de ventiladores e não há lugares suficientes para tanta gente.

Neste ponto, é como estar numa guerra: os médicos precisam de escolher quem tratar com base nas chances de sobrevivência. Isto significa que os idosos e pacientes com traumas ou, por exemplo, tenham tido um AVC, não podem ser tratados porque os casos onde a chance de sobreviver é maior têm prioridade.

Não existem recursos suficientes para todos, portanto eles precisam de ser distribuídos para se obter um melhor resultado. Eu queria estar a brincar a com situação, mas é literalmente o que está a acontecer. Há pessoas que morrem porque não há mais espaço para serem tratados.

Eu tenho um amigo médico que me ligou completamente arrasado porque ele teve que deixar morrer 3 pessoas naquele dia. Enfermeiros choram porque vêem pessoas a morrer e não podem fazer nada para além de oferecer um pouco de oxigénio.

Um familiar de um amigo meu morreu ontem de coronavírus porque os profissionais de saúde não o podiam tratar. É um autêntico caos, o sistema está a entrar em colapso. O coronavírus e a crise que está a provocar é tudo o que se ouve em todos os lugares.

ESTÁGIO 5: Lembram-se dos 10 mil idiotas que fugiram da zona vermelha para o resto da Itália?

Bem, teve que ser declarada quarentena obrigatória em todo o país (9 de março). O objetivo é atrasar a propagação do vírus o máximo possível

As pessoas podem ir ao trabalho, fazer compras, ir à farmácia e todas as empresas ainda estão abertas, porque casos contrário, a economia entraria em colapso, mas não podes andar pela rua a não ser que tenhas um motivo válido.

Agora há medo, vês muita pessoas com máscaras e luvas por perto, mas ainda existem pessoas que são invencíveis, que vão a restaurantes em grandes grupos, saem com amigos para beber e por aí adiante.

ETAPA 6:

Dois dias depois, é anunciado que todas as empresas (a maioria) estão fecadas: bares, restaurantes, shopping, todos os tipos de lojas, etc. Tudo exceto supermercados e farmácias. Podes-te deslocar apenas se tiveres um certificado contigo.

A certificação é um documento oficial em que declaras o teu nome, de onde vens, para onde estás a ir e para quê. Existem muitos pontos com controlo policial. Se fores encontrado na rua sem uma razão válida, corres o risco de multa até 206€

Se fores um paciente infetado com coronavírus, e for conhecido, corres o risco de 1 a 12 anos de prisão por homicídio negligente.

PENSAMENTOS FINAIS:

É assim que é hoje, a partir de 12 de março. Lembre-se de que tudo aconteceu em cerca de duas semanas…

QUINTO DIA DO ESTÁGIO 3 ATÉ HOJE.

O resto do mundo, com exceção de Itália, China e Coreia, está apenas a começar a alcançar outros estágios, então deixem-me dizer-vos uma coisa:

Não fazes ideia do que aí vem. Eu sei, porque há duas semanas fui eu que não fazia ideia e achava que não era assim tão mau. Mas é. E não porque o vírus por si só seja particularmente perigoso ou mortal, mas por todas as consequências que traz.

É difícil ver todos esses países a agir como se o vírus não estivesse a chegar até eles. É difícil ver que não estão a tomar as precauções necessárias para o bem-estar dos seus cidadãos enquanto ainda têm tempo.

Por favor, se estiveres a ler isto agora, tenta agir da melhor maneira. Este problema não se vai resolver ignorando-o.

O nosso governo, pela primeira vez, fez um bom trabalho, devo dizer. As ações tomadas foram drásticas, mas necessárias, e essa pode ser a única maneira de conter a propagação do vírus.

Na China essas medidas já estão a fazer efeito, então esperemos que também funcione por aqui. O governo está a tomar medidas para proteger os cidadãos, como provavelmente suspender o pagamento de hipotecas durante os próximos meses, ajudar os donos de lojas que foram obrigados a fechar e por aí adiante.

Tenho noção que estas medidas são realmente difíceis de tomar, se não impossíveis, em alguns países, e é realmente preocupante pensar no que isso poderia significar numa escala global.

Eu pergunto-me se esta pandemia será um momento decisivo para a nossa sociedade. Se houver casos onde moras, o vírus está a espalhar-se e podes estar a uma ou duas semanas da nossa atual situação.

POR FAVOR, toma toda as precauções que puderes tomar. Não ajas como se o vírus não te fosse infetar.

Se puderes, fica em casa!”