A Hungria disse não à adoção a casais homossexuais: “Mãe é mulher, pai é homem”. Para o governo húngaro explicou que “os novos processos ideológicos no Ocidente” tornaram necessário “proteger as crianças contra possíveis interferências ideológicas ou biológicas”. Neste sentido o parlamento fez uma alteração na constituição que “garante a educação das crianças de acordo com a cultura cristã [da Hungria]” e define ainda que o “sexo das crianças é aquele que lhes foi atribuído”, avança o The Daily Mail. 

De relembrar que o eurodeputado húngaro de extrema-direita, József Szájer, foi apanhado numa orgia gay, na qual 25 homens foram detidos pela polícia belga enquanto decorria a festa de sexo, uma vez que violavam as regras do distanciamento social e do recolher obrigatório imposto no país entre as 22h00 e as 06h00.