O fim-de-semana devia durar três dias, por motivos biológicos, de acordo com 25 estudos recentes nos Estados Unidos, na Austrália e em diversos países da Europa, publicados na revista The Lancelet.

As pessoas que trabalham 55 horas semanais ou mais têm 33% mais probabilidade de sofrer um derrame cerebral e 13% de doenças cardíacas, quando comparados com aqueles que trabalham menos de 40 horas por semana.

Na base das conclusões dos estudos estão informações recolhidas junto de mais de 600 mil pessoas.

Outro estudo publicado no jornal Sleep afirma também que trabalhar menos de 40 horas por semana faz com que durmas mais tempo e melhor.