Crianças que mamaram até 1 ano são mais inteligentes, de acordo com um estudo que conseguiu estabelecer relações entre a amamentação prolongada e os índices de QI, escolaridade e renda média.

Assim crianças que ingerem leite materno por até 12 meses têm rendimentos melhores em todos os factores.

O estudo liderado pelo epidemiologista Cesar Victora, demonstra que bebés cuja alimentação é baseada no leite materno até os 12 meses apresentam, aos 30 anos de idade:

  • Quatro pontos a mais no nível de QI (cerca de 30% acima da média);
  • 0,9 ano a mais de escolaridade (cerca de 25% acima da média);
  • Renda mensal R$ 349 superior (cerca de 30% acima da média).

O artigo publicado na revista The Lancet Global Health: “Associação entre aleitamento e inteligência, alcance educacional e renda aos 30 anos de idade: um estudo prospectivo de grupo de nascimento no Brasil [tradução livre]” rendeu ao pesquisador brasileiro o Prémio Gairdner, um dos mais importantes do mundo na área da ciência da saúde.

“Há vários mecanismos pelos quais o leite humano pode melhorar a inteligência. O mais conhecido é a ação dos ácidos graxos insaturados de cadeia longa, que são essenciais para o crescimento do cérebro. Cerca de 70 a 80% do cérebro se forma nos primeiros dois anos de vida”, diz Victora.

O pesquisador cita também outros mecanismos ligados ao microbioma do bebé em estágio de amamentação, como os recentes estudos que ligam a função do intestino de sintetizar substâncias que activam o cérebro, como a serotonina, as citoquinas e outros metabolitos.

Partilha
Loading...