A Covid-19 foi “criada em laboratório militar da China”, garantiu a virologista Li-Meng Yan, que acusou Pequim de mentir sobre a existência e o perigo do novo coronavírus.

Agora, numa entrevista citada pela Taiwan News, Li-Meng Yan refere que durante o seu trabalho conseguiu rastrear a origem da pandemia até ao Exército de Libertação Popular, o braço armado do Partido Comunista da China.

“Na altura determinei claramente que o vírus era proveniente de um laboratório militar do partido comunista chinês. Sabia que, assim que falasse, teria de desaparecer – tal como os manifestantes em Hong Kong. Podia desaparecer a qualquer altura”, disse.

A viroligista chinesa tinha abandonado a China a 28 de abril depois de partilhar com um blogger e youtuber, Lu Deh, as suas teorias e investigações.

A virologista tomou a decisão de ir até Los Angeles sozinha, mas quando chegou à cidade norte-americana, foi travada pelo serviço de estrangeiros e fronteiras e receou ser deportada. “Tinha que lhes dizer a verdade. Pedi que não me deportassem, que eu tinha vindo contar-lhe a verdade sobre a Covid-19. E que, por favor, me protegessem senão o governo chinês me mataria”, afirmou à Fox News.

No aeroporto, o FBI foi chamado. Li-Meng Yan diz que foi interrogada durante horas, que lhe apreenderam o telemóvel e que a deixaram prosseguir. Agora, encontra-se num sítio cuja localização foi mantida oculta.