Uma mulher que referiu ter sido agredida por agente da PSP na Amadora tem passado de violência. Cláudia Simões diz ter sido agredida brutalmente durante detenção depois de um desentendimento num autocarro, na Amadora.

A mulher de 42 anos filmou-se com a cara ensaguentada e com nódoas negras e diz-se vítima do polícia quando seguiam a caminho da esquadra.

Cláudia tem um passado de violência que vem agora a público depois do polémico caso. A mulher já ameaçou o marido com uma faca e de acordo com o Correio da Manhã, o pai dos dois filhos de Cláudia foi à PSP queixar-se de que a mulher lhe “espetava uma faca”, ameaças que aconteceram na frente dos filhos. Em 2016, a mulher espancou um vigilante depois deste a ter encontrado a roubar numa loja.

Cláudia Simões foi esta terça-feira ouvida pelo Ministério Público e saiu arguida por resistência e coação ao polícia.

A esquadra da PSP da Amadora tem recebido várias chamadas ameaçadoras depois do caso polémico. Como consequência, a PSP pediu aos agentes para se protegerem.

A PSP já veio esclarecer que o agente envolvido foi agredido pela mulher e empurrado quando tentava fazer a detenção.