Já ouviste falar dos “Terrible Twos”? A fase, que ocorre a partir dos 18 meses e pode durar até os três anos, é a famosa adolescência do bebé, o que pode provocar os temidos momentos de teimosia, mau-humor e as incontáveis birras.

Nesta idade, o cérebro dos bebés desenvolve-se de modo que ele consiga expressar a sua vontade, e percebe que são diferentes dos seus pais. Porém, eles não conseguem entender que os seus desejos não serão sempre atendidos.

É aí que começam as brigas e irritações, e a criança transforma-se até mesmo em outra criança, desrespeitando o pai e a mãe.

Basicamente, os pequenos começam a entender que são indivíduos e que têm vontades próprias. Mas ainda não estão amadurecidos emocional e fisicamente (o cérebro não está pronto!) para lidar com as respostas negativas e nem para entender os sentimentos de raiva, frustração e tristeza.

Por isso, como ainda não conseguem assimilar o que sentem e nem verbalizar, acabam chorando ou tendo crises de incompreensão que comumente são chamadas de “birras”.

Quais os sinais da adolescência do bebé?
Neste período, a criança fica mais irritada, faz birras, tem crises de choro, sofre com alterações na qualidade do sono, agitação nocturna, fica emburrada e agressiva, há uma verbalização do não, selectividade alimentar e a oposição quando é contrariada.
O que fazer nestes momentos de rebeldia?

Primeiro de tudo, fica tranquilo. Essa fase vai passar! Mas é preciso ter muita paciência e preparação por parte dos pais. Quando houver uma crise de choro ou birra, os responsáveis não conversem ou dêm bronca no criança na hora, apenas acolham, oferecendo um abraço e explicando que entendem o que ele está a sentir.

Também vais gostar destes:
– Velas perfumadas prejudicam a saúde dos bebés!
Cão e bebé são os melhores amigos do mundo!

Depois precisam explicar que aquele comportamento não é nada correto e que existem limites, com calma e completa compreensão de que a criança não sabe o que está acontecendo e ainda está aprendendo a lidar com as suas sensações e a se comunicar.

Conhece e entenda um pouco mais sobre a “adolescência do bebé”:

FONTEVix

Partilha